Almanaque Alagoas - Vida inteligente na web
RESULTADO

Notícias

Efemérides
Anna Zieminski/AFP
Winnie Madikazela-Mandela, ex-esposa de Nelson Mandela

03 de Abril de 2018

Morre Winnie, ex-esposa de Nelson Mandela

A militante dos direitos humanos sul-africana faleceu no último sábado aos 81 anos

Conhecida na África do Sul como a “Mãe na Nação”, Winnie foi casada com Mandela de 1958 até 1992, dois anos antes do líder da luta contra a apartheid se tornar o primeiro presidente negro do país. Durante os 27 anos de prisão de Mandela, condenado à pelo regime de minoria branca, ela continuou militando. Winnie é uma das referências dentro do Congresso Nacional Africano, partido no poder do país desde as primeiras eleições democráticas, em 1994. De 1993 a 2003 foi presidente da Liga das Mulheres e chegou a ser Ministra das Artes, Cultura, Ciência e Tecnologia, no governo de Mandela (1994), mas foi demitida após uma suspeita de fraude.

Desde 1991 o seu nome foi envolvido em vários crimes e polêmica.

Winnie ficou bem famosa ao falar a emblemática frase: “Sem mim, o Mandela não tinha existido”. (ANSA)

O porta-voz da família, Victor Dlamini, disse em comunicado que ela morreu em um hospital de Joanesburgo depois de “uma longa doença”, que a obrigou a ser internada várias vezes desde o início do ano. "Ela sucumbiu pacificamente nas primeiras horas da tarde desta segunda-feira cercada por sua família e entes queridos."

Em imagem de janeiro de 1986, a ativista Winnie Mandela recebe o apoio após comparecer a corte a oeste de Johanesburgo em audiência sobre sua prisão por desrespeitar ordem quea proibe de morar em sua casa em Soweto (Foto: AP Photo, File) Em imagem de janeiro de 1986, a ativista Winnie Mandela recebe o apoio após comparecer a corte a oeste de Johanesburgo em audiência sobre sua prisão por desrespeitar ordem quea proibe de morar em sua casa em Soweto (Foto: AP Photo, File)

Em imagem de janeiro de 1986, a ativista Winnie Mandela recebe o apoio após comparecer a corte a oeste de Johanesburgo em audiência sobre sua prisão por desrespeitar ordem quea proibe de morar em sua casa em Soweto (Foto: AP Photo, File)

Winnie e Nelson se casaram em 1958, seis anos antes de ele ser condenado à prisão perpétua pelo regime de minoria branca.

Durante os 27 anos de prisão de Mandela, Winnie continuou com a luta anti-apartheid, passou pela prisão, por prisões domiciliares, e confinamentos em uma localidade afastada de todos. O casal se divorciou em 1996 - dois anos depois que Mandela se tornou o primeiro presidente negro do país.

Nelson Mandela e Winnie caminham de mãos dadas após Nelson deixar a prisão na Cidade do Cabo, na África do Sul, em 11 de fevereiro de 1990 (Foto: Associated Press) Nelson Mandela e Winnie caminham de mãos dadas após Nelson deixar a prisão na Cidade do Cabo, na África do Sul, em 11 de fevereiro de 1990 (Foto: Associated Press)

Nelson Mandela e Winnie caminham de mãos dadas após Nelson deixar a prisão na Cidade do Cabo, na África do Sul, em 11 de fevereiro de 1990 (Foto: Associated Press)

Winnie ressaltava a sua importância na luta do ex-marido enquanto ele esteve preso. "Se eu não tivesse lutado, Mandela não teria existido, o mundo inteiro o teria esquecido e ele teria morrido na prisão como queriam as pessoas que o prenderam", declarou em entrevista concedida ao jornal francês "Le Journal du Dimanche", em 2013.

Em 1991, ela foi condenada por cumplicidade no sequestro de um jovem militante à pena de prisão comutada por uma multa. Também foi condenada por fraude em 2003.

Winnie Mandela, militante sul-africana contra o apartheid, morre aos 81 anos

Conhecido como "Madiba" na África do Sul, Nelson Mandela foi foi um dos principais responsáveis pelo fim do regime racista do apartheid, vigente entre 1948 e 1993. Mandela ficou no poder de 1994 a 1999 e morreu aos 95 anos, em Pretória.

Derrota na Justiça

No começo de 2018, o Supremo Tribunal de Apelações da África do Sul arquivou um processo movido por Winnie, que pretendia assumir a casa familiar de Nelson Mandela em Qunu, no leste do país.

Pessoas prestam homenagem a Winnie Mandela nesta segunda-feira (2) em Durban, na África do Sul (Foto: Rogan Ward/Reuters) Pessoas prestam homenagem a Winnie Mandela nesta segunda-feira (2) em Durban, na África do Sul (Foto: Rogan Ward/Reuters)

Pessoas prestam homenagem a Winnie Mandela nesta segunda-feira (2) em Durban, na África do Sul (Foto: Rogan Ward/Reuters)

Ela afirmava que, de acordo com a jurisprudência local, a residência pertencia a ela, já que a comprou em seu nome em 1989, quando Nelson Mandela estava preso e o casal ainda estava junto.

Nelson Mandela deixou seus bens a sua última esposa (Graça Machel), seus filhos e netos, bem como colaboradores, escolas e seu partido, o Congresso Nacional Africano (ANC). Ele não deixou nada para Winnie.

MAIS DO G1

Winnie Mandela, militante sul-africana contra o apartheid, morre aos 81 anos

Ela é ex-esposa do ex-presidente sul-africano Nelson Mandela.

Por G1

02/04/2018 11h10 Atualizado há 10 horas

Winnie Madikizela-Mandela, ex-mulher de Nelson Mandela (Foto: Siphiwe Sibeko/ Reuters) Winnie Madikizela-Mandela, ex-mulher de Nelson Mandela (Foto: Siphiwe Sibeko/ Reuters)

Winnie Madikizela-Mandela, ex-mulher de Nelson Mandela (Foto: Siphiwe Sibeko/ Reuters)

Morre Winnie Mandela ativista contra o apartheid

Winnie Madikizela-Mandela, militante sul-africana que lutou contra o apartheid, morreu aos 81 anos nesta segunda-feira (2) . Ela era ex-esposa do ex-presidente sul-africano Nelson Mandela, que se tornou um ícone na defesa da igualdade racial.

O porta-voz da família, Victor Dlamini, disse em comunicado que ela morreu em um hospital de Joanesburgo depois de “uma longa doença”, que a obrigou a ser internada várias vezes desde o início do ano. "Ela sucumbiu pacificamente nas primeiras horas da tarde desta segunda-feira cercada por sua família e entes queridos."

Em imagem de janeiro de 1986, a ativista Winnie Mandela recebe o apoio após comparecer a corte a oeste de Johanesburgo em audiência sobre sua prisão por desrespeitar ordem quea proibe de morar em sua casa em Soweto (Foto: AP Photo, File) Em imagem de janeiro de 1986, a ativista Winnie Mandela recebe o apoio após comparecer a corte a oeste de Johanesburgo em audiência sobre sua prisão por desrespeitar ordem quea proibe de morar em sua casa em Soweto (Foto: AP Photo, File)

Em imagem de janeiro de 1986, a ativista Winnie Mandela recebe o apoio após comparecer a corte a oeste de Johanesburgo em audiência sobre sua prisão por desrespeitar ordem quea proibe de morar em sua casa em Soweto (Foto: AP Photo, File)

Winnie e Nelson se casaram em 1958, seis anos antes de ele ser condenado à prisão perpétua pelo regime de minoria branca.

Durante os 27 anos de prisão de Mandela, Winnie continuou com a luta anti-apartheid, passou pela prisão, por prisões domiciliares, e confinamentos em uma localidade afastada de todos. O casal se divorciou em 1996 - dois anos depois que Mandela se tornou o primeiro presidente negro do país.

Nelson Mandela e Winnie caminham de mãos dadas após Nelson deixar a prisão na Cidade do Cabo, na África do Sul, em 11 de fevereiro de 1990 (Foto: Associated Press) Nelson Mandela e Winnie caminham de mãos dadas após Nelson deixar a prisão na Cidade do Cabo, na África do Sul, em 11 de fevereiro de 1990 (Foto: Associated Press)

Nelson Mandela e Winnie caminham de mãos dadas após Nelson deixar a prisão na Cidade do Cabo, na África do Sul, em 11 de fevereiro de 1990 (Foto: Associated Press)

Winnie ressaltava a sua importância na luta do ex-marido enquanto ele esteve preso. "Se eu não tivesse lutado, Mandela não teria existido, o mundo inteiro o teria esquecido e ele teria morrido na prisão como queriam as pessoas que o prenderam", declarou em entrevista concedida ao jornal francês "Le Journal du Dimanche", em 2013.

Em 1991, ela foi condenada por cumplicidade no sequestro de um jovem militante à pena de prisão comutada por uma multa. Também foi condenada por fraude em 2003.

Winnie Mandela, militante sul-africana contra o apartheid, morre aos 81 anos

Conhecido como "Madiba" na África do Sul, Nelson Mandela foi foi um dos principais responsáveis pelo fim do regime racista do apartheid, vigente entre 1948 e 1993. Mandela ficou no poder de 1994 a 1999 e morreu aos 95 anos, em Pretória.

Derrota na Justiça

No começo de 2018, o Supremo Tribunal de Apelações da África do Sul arquivou um processo movido por Winnie, que pretendia assumir a casa familiar de Nelson Mandela em Qunu, no leste do país.

Pessoas prestam homenagem a Winnie Mandela nesta segunda-feira (2) em Durban, na África do Sul (Foto: Rogan Ward/Reuters) Pessoas prestam homenagem a Winnie Mandela nesta segunda-feira (2) em Durban, na África do Sul (Foto: Rogan Ward/Reuters)

Pessoas prestam homenagem a Winnie Mandela nesta segunda-feira (2) em Durban, na África do Sul (Foto: Rogan Ward/Reuters)

Ela afirmava que, de acordo com a jurisprudência local, a residência pertencia a ela, já que a comprou em seu nome em 1989, quando Nelson Mandela estava preso e o casal ainda estava junto.

Nelson Mandela deixou seus bens a sua última esposa (Graça Machel), seus filhos e netos, bem como colaboradores, escolas e seu partido, o Congresso Nacional Africano (ANC). Ele não deixou nada para Winnie.

MAIS DO G1

Winnie Mandela, militante sul-africana contra o apartheid, morre aos 81 anos

Ela é ex-esposa do ex-presidente sul-africano Nelson Mandela.

Por G1

02/04/2018 11h10 Atualizado há 10 horas

Winnie Madikizela-Mandela, ex-mulher de Nelson Mandela (Foto: Siphiwe Sibeko/ Reuters) Winnie Madikizela-Mandela, ex-mulher de Nelson Mandela (Foto: Siphiwe Sibeko/ Reuters)

Winnie Madikizela-Mandela, ex-mulher de Nelson Mandela (Foto: Siphiwe Sibeko/ Reuters)

Morre Winnie Mandela ativista contra o apartheid

Winnie Madikizela-Mandela, militante sul-africana que lutou contra o apartheid, morreu aos 81 anos nesta segunda-feira (2) . Ela era ex-esposa do ex-presidente sul-africano Nelson Mandela, que se tornou um ícone na defesa da igualdade racial.

O porta-voz da família, Victor Dlamini, disse em comunicado que ela morreu em um hospital de Joanesburgo depois de “uma longa doença”, que a obrigou a ser internada várias vezes desde o início do ano. "Ela sucumbiu pacificamente nas primeiras horas da tarde desta segunda-feira cercada por sua família e entes queridos."

Em imagem de janeiro de 1986, a ativista Winnie Mandela recebe o apoio após comparecer a corte a oeste de Johanesburgo em audiência sobre sua prisão por desrespeitar ordem quea proibe de morar em sua casa em Soweto (Foto: AP Photo, File) Em imagem de janeiro de 1986, a ativista Winnie Mandela recebe o apoio após comparecer a corte a oeste de Johanesburgo em audiência sobre sua prisão por desrespeitar ordem quea proibe de morar em sua casa em Soweto (Foto: AP Photo, File)

Em imagem de janeiro de 1986, a ativista Winnie Mandela recebe o apoio após comparecer a corte a oeste de Johanesburgo em audiência sobre sua prisão por desrespeitar ordem quea proibe de morar em sua casa em Soweto (Foto: AP Photo, File)

Winnie e Nelson se casaram em 1958, seis anos antes de ele ser condenado à prisão perpétua pelo regime de minoria branca.

Durante os 27 anos de prisão de Mandela, Winnie continuou com a luta anti-apartheid, passou pela prisão, por prisões domiciliares, e confinamentos em uma localidade afastada de todos. O casal se divorciou em 1996 - dois anos depois que Mandela se tornou o primeiro presidente negro do país.

Nelson Mandela e Winnie caminham de mãos dadas após Nelson deixar a prisão na Cidade do Cabo, na África do Sul, em 11 de fevereiro de 1990 (Foto: Associated Press) Nelson Mandela e Winnie caminham de mãos dadas após Nelson deixar a prisão na Cidade do Cabo, na África do Sul, em 11 de fevereiro de 1990 (Foto: Associated Press)

Nelson Mandela e Winnie caminham de mãos dadas após Nelson deixar a prisão na Cidade do Cabo, na África do Sul, em 11 de fevereiro de 1990 (Foto: Associated Press)

Winnie ressaltava a sua importância na luta do ex-marido enquanto ele esteve preso. "Se eu não tivesse lutado, Mandela não teria existido, o mundo inteiro o teria esquecido e ele teria morrido na prisão como queriam as pessoas que o prenderam", declarou em entrevista concedida ao jornal francês "Le Journal du Dimanche", em 2013.

Em 1991, ela foi condenada por cumplicidade no sequestro de um jovem militante à pena de prisão comutada por uma multa. Também foi condenada por fraude em 2003.

Winnie Mandela, militante sul-africana contra o apartheid, morre aos 81 anos

Conhecido como "Madiba" na África do Sul, Nelson Mandela foi foi um dos principais responsáveis pelo fim do regime racista do apartheid, vigente entre 1948 e 1993. Mandela ficou no poder de 1994 a 1999 e morreu aos 95 anos, em Pretória.

Derrota na Justiça

No começo de 2018, o Supremo Tribunal de Apelações da África do Sul arquivou um processo movido por Winnie, que pretendia assumir a casa familiar de Nelson Mandela em Qunu, no leste do país.

Pessoas prestam homenagem a Winnie Mandela nesta segunda-feira (2) em Durban, na África do Sul (Foto: Rogan Ward/Reuters) Pessoas prestam homenagem a Winnie Mandela nesta segunda-feira (2) em Durban, na África do Sul (Foto: Rogan Ward/Reuters)

Pessoas prestam homenagem a Winnie Mandela nesta segunda-feira (2) em Durban, na África do Sul (Foto: Rogan Ward/Reuters)

Ela afirmava que, de acordo com a jurisprudência local, a residência pertencia a ela, já que a comprou em seu nome em 1989, quando Nelson Mandela estava preso e o casal ainda estava junto.

Nelson Mandela deixou seus bens a sua última esposa (Graça Machel), seus filhos e netos, bem como colaboradores, escolas e seu partido, o Congresso Nacional Africano (ANC). Ele não deixou nada para Winnie.

MAIS DO G1

Winnie Mandela, militante sul-africana contra o apartheid, morre aos 81 anos

Ela é ex-esposa do ex-presidente sul-africano Nelson Mandela.

Por G1

02/04/2018 11h10 Atualizado há 10 horas

Winnie Madikizela-Mandela, ex-mulher de Nelson Mandela (Foto: Siphiwe Sibeko/ Reuters) Winnie Madikizela-Mandela, ex-mulher de Nelson Mandela (Foto: Siphiwe Sibeko/ Reuters)

Winnie Madikizela-Mandela, ex-mulher de Nelson Mandela (Foto: Siphiwe Sibeko/ Reuters)

Morre Winnie Mandela ativista contra o apartheid

Winnie Madikizela-Mandela, militante sul-africana que lutou contra o apartheid, morreu aos 81 anos nesta segunda-feira (2) . Ela era ex-esposa do ex-presidente sul-africano Nelson Mandela, que se tornou um ícone na defesa da igualdade racial.

O porta-voz da família, Victor Dlamini, disse em comunicado que ela morreu em um hospital de Joanesburgo depois de “uma longa doença”, que a obrigou a ser internada várias vezes desde o início do ano. "Ela sucumbiu pacificamente nas primeiras horas da tarde desta segunda-feira cercada por sua família e entes queridos."

Em imagem de janeiro de 1986, a ativista Winnie Mandela recebe o apoio após comparecer a corte a oeste de Johanesburgo em audiência sobre sua prisão por desrespeitar ordem quea proibe de morar em sua casa em Soweto (Foto: AP Photo, File) Em imagem de janeiro de 1986, a ativista Winnie Mandela recebe o apoio após comparecer a corte a oeste de Johanesburgo em audiência sobre sua prisão por desrespeitar ordem quea proibe de morar em sua casa em Soweto (Foto: AP Photo, File)

Em imagem de janeiro de 1986, a ativista Winnie Mandela recebe o apoio após comparecer a corte a oeste de Johanesburgo em audiência sobre sua prisão por desrespeitar ordem quea proibe de morar em sua casa em Soweto (Foto: AP Photo, File)

Winnie e Nelson se casaram em 1958, seis anos antes de ele ser condenado à prisão perpétua pelo regime de minoria branca.

Durante os 27 anos de prisão de Mandela, Winnie continuou com a luta anti-apartheid, passou pela prisão, por prisões domiciliares, e confinamentos em uma localidade afastada de todos. O casal se divorciou em 1996 - dois anos depois que Mandela se tornou o primeiro presidente negro do país.

Nelson Mandela e Winnie caminham de mãos dadas após Nelson deixar a prisão na Cidade do Cabo, na África do Sul, em 11 de fevereiro de 1990 (Foto: Associated Press) Nelson Mandela e Winnie caminham de mãos dadas após Nelson deixar a prisão na Cidade do Cabo, na África do Sul, em 11 de fevereiro de 1990 (Foto: Associated Press)

Nelson Mandela e Winnie caminham de mãos dadas após Nelson deixar a prisão na Cidade do Cabo, na África do Sul, em 11 de fevereiro de 1990 (Foto: Associated Press)

Winnie ressaltava a sua importância na luta do ex-marido enquanto ele esteve preso. "Se eu não tivesse lutado, Mandela não teria existido, o mundo inteiro o teria esquecido e ele teria morrido na prisão como queriam as pessoas que o prenderam", declarou em entrevista concedida ao jornal francês "Le Journal du Dimanche", em 2013.

Em 1991, ela foi condenada por cumplicidade no sequestro de um jovem militante à pena de prisão comutada por uma multa. Também foi condenada por fraude em 2003.

Winnie Mandela, militante sul-africana contra o apartheid, morre aos 81 anos

Conhecido como "Madiba" na África do Sul, Nelson Mandela foi foi um dos principais responsáveis pelo fim do regime racista do apartheid, vigente entre 1948 e 1993. Mandela ficou no poder de 1994 a 1999 e morreu aos 95 anos, em Pretória.

Derrota na Justiça

No começo de 2018, o Supremo Tribunal de Apelações da África do Sul arquivou um processo movido por Winnie, que pretendia assumir a casa familiar de Nelson Mandela em Qunu, no leste do país.

Pessoas prestam homenagem a Winnie Mandela nesta segunda-feira (2) em Durban, na África do Sul (Foto: Rogan Ward/Reuters) Pessoas prestam homenagem a Winnie Mandela nesta segunda-feira (2) em Durban, na África do Sul (Foto: Rogan Ward/Reuters)

Pessoas prestam homenagem a Winnie Mandela nesta segunda-feira (2) em Durban, na África do Sul (Foto: Rogan Ward/Reuters)

Ela afirmava que, de acordo com a jurisprudência local, a residência pertencia a ela, já que a comprou em seu nome em 1989, quando Nelson Mandela estava preso e o casal ainda estava junto.

Nelson Mandela deixou seus bens a sua última esposa (Graça Machel), seus filhos e netos, bem como colaboradores, escolas e seu partido, o Congresso Nacional Africano (ANC). Ele não deixou nada para Winnie.

MAIS DO G1

Winnie Mandela, militante sul-africana contra o apartheid, morre aos 81 anos

Ela é ex-esposa do ex-presidente sul-africano Nelson Mandela.

Por G1

02/04/2018 11h10 Atualizado há 10 horas

Winnie Madikizela-Mandela, ex-mulher de Nelson Mandela (Foto: Siphiwe Sibeko/ Reuters) Winnie Madikizela-Mandela, ex-mulher de Nelson Mandela (Foto: Siphiwe Sibeko/ Reuters)

Winnie Madikizela-Mandela, ex-mulher de Nelson Mandela (Foto: Siphiwe Sibeko/ Reuters)

Morre Winnie Mandela ativista contra o apartheid

Winnie Madikizela-Mandela, militante sul-africana que lutou contra o apartheid, morreu aos 81 anos nesta segunda-feira (2) . Ela era ex-esposa do ex-presidente sul-africano Nelson Mandela, que se tornou um ícone na defesa da igualdade racial.

O porta-voz da família, Victor Dlamini, disse em comunicado que ela morreu em um hospital de Joanesburgo depois de “uma longa doença”, que a obrigou a ser internada várias vezes desde o início do ano. "Ela sucumbiu pacificamente nas primeiras horas da tarde desta segunda-feira cercada por sua família e entes queridos."

Em imagem de janeiro de 1986, a ativista Winnie Mandela recebe o apoio após comparecer a corte a oeste de Johanesburgo em audiência sobre sua prisão por desrespeitar ordem quea proibe de morar em sua casa em Soweto (Foto: AP Photo, File) Em imagem de janeiro de 1986, a ativista Winnie Mandela recebe o apoio após comparecer a corte a oeste de Johanesburgo em audiência sobre sua prisão por desrespeitar ordem quea proibe de morar em sua casa em Soweto (Foto: AP Photo, File)

Em imagem de janeiro de 1986, a ativista Winnie Mandela recebe o apoio após comparecer a corte a oeste de Johanesburgo em audiência sobre sua prisão por desrespeitar ordem quea proibe de morar em sua casa em Soweto (Foto: AP Photo, File)

Winnie e Nelson se casaram em 1958, seis anos antes de ele ser condenado à prisão perpétua pelo regime de minoria branca.

Durante os 27 anos de prisão de Mandela, Winnie continuou com a luta anti-apartheid, passou pela prisão, por prisões domiciliares, e confinamentos em uma localidade afastada de todos. O casal se divorciou em 1996 - dois anos depois que Mandela se tornou o primeiro presidente negro do país.

Nelson Mandela e Winnie caminham de mãos dadas após Nelson deixar a prisão na Cidade do Cabo, na África do Sul, em 11 de fevereiro de 1990 (Foto: Associated Press) Nelson Mandela e Winnie caminham de mãos dadas após Nelson deixar a prisão na Cidade do Cabo, na África do Sul, em 11 de fevereiro de 1990 (Foto: Associated Press)

Nelson Mandela e Winnie caminham de mãos dadas após Nelson deixar a prisão na Cidade do Cabo, na África do Sul, em 11 de fevereiro de 1990 (Foto: Associated Press)

Winnie ressaltava a sua importância na luta do ex-marido enquanto ele esteve preso. "Se eu não tivesse lutado, Mandela não teria existido, o mundo inteiro o teria esquecido e ele teria morrido na prisão como queriam as pessoas que o prenderam", declarou em entrevista concedida ao jornal francês "Le Journal du Dimanche", em 2013.

Em 1991, ela foi condenada por cumplicidade no sequestro de um jovem militante à pena de prisão comutada por uma multa. Também foi condenada por fraude em 2003.

Winnie Mandela, militante sul-africana contra o apartheid, morre aos 81 anos

Conhecido como "Madiba" na África do Sul, Nelson Mandela foi foi um dos principais responsáveis pelo fim do regime racista do apartheid, vigente entre 1948 e 1993. Mandela ficou no poder de 1994 a 1999 e morreu aos 95 anos, em Pretória.

Derrota na Justiça

No começo de 2018, o Supremo Tribunal de Apelações da África do Sul arquivou um processo movido por Winnie, que pretendia assumir a casa familiar de Nelson Mandela em Qunu, no leste do país.

Pessoas prestam homenagem a Winnie Mandela nesta segunda-feira (2) em Durban, na África do Sul (Foto: Rogan Ward/Reuters) Pessoas prestam homenagem a Winnie Mandela nesta segunda-feira (2) em Durban, na África do Sul (Foto: Rogan Ward/Reuters)

Pessoas prestam homenagem a Winnie Mandela nesta segunda-feira (2) em Durban, na África do Sul (Foto: Rogan Ward/Reuters)

Ela afirmava que, de acordo com a jurisprudência local, a residência pertencia a ela, já que a comprou em seu nome em 1989, quando Nelson Mandela estava preso e o casal ainda estava junto.

Nelson Mandela deixou seus bens a sua última esposa (Graça Machel), seus filhos e netos, bem como colaboradores, escolas e seu partido, o Congresso Nacional Africano (ANC). Ele não deixou nada para Winnie.

MAIS DO G1

A militante Winnie Madikizela-Mandela, ex-esposa do ex-presidente sul-africano Nelson Mandela, morreu nesta segunda-feira (2), aos 81 anos, informou seu assistente pessoal em comunicado.

Leia também

Winnie, a carismática e polêmica esposa de Nelson Mandela

Conhecida na África do Sul como a “Mãe na Nação”, Winnie foi casada com Mandela de 1958 até 1992, dois anos antes do líder da luta contra a apartheid se tornar o primeiro presidente negro do país. Durante os 27 anos de prisão de Mandela, condenado à pelo regime de minoria branca, ela continuou militando. Winnie é uma das referências dentro do Congresso Nacional Africano, partido no poder do país desde as primeiras eleições democráticas, em 1994. De 1993 a 2003 foi presidente da Liga das Mulheres e chegou a ser Ministra das Artes, Cultura, Ciência e Tecnologia, no governo de Mandela (1994), mas foi demitida após uma suspeita de fraude.

Desde 1991 o seu nome foi envolvido em vários crimes e polêmica.

Winnie ficou bem famosa ao falar a emblemática frase: “Sem mim, o Mandela não tinha existido”. (ANSA)

A militante Winnie Madikizela-Mandela, ex-esposa do ex-presidente sul-africano Nelson Mandela, morreu nesta segunda-feira (2), aos 81 anos, informou seu assistente pessoal em comunicado.

Leia também

Winnie, a carismática e polêmica esposa de Nelson Mandela

Conhecida na África do Sul como a “Mãe na Nação”, Winnie foi casada com Mandela de 1958 até 1992, dois anos antes do líder da luta contra a apartheid se tornar o primeiro presidente negro do país. Durante os 27 anos de prisão de Mandela, condenado à pelo regime de minoria branca, ela continuou militando. Winnie é uma das referências dentro do Congresso Nacional Africano, partido no poder do país desde as primeiras eleições democráticas, em 1994. De 1993 a 2003 foi presidente da Liga das Mulheres e chegou a ser Ministra das Artes, Cultura, Ciência e Tecnologia, no governo de Mandela (1994), mas foi demitida após uma suspeita de fraude.

Desde 1991 o seu nome foi envolvido em vários crimes e polêmica.

Winnie ficou bem famosa ao falar a emblemática frase: “Sem mim, o Mandela não tinha existido”. (ANSA)

A militante Winnie Madikizela-Mandela, ex-esposa do ex-presidente sul-africano Nelson Mandela, morreu nesta segunda-feira (2), aos 81 anos, informou seu assistente pessoal em comunicado.

Leia também

Winnie, a carismática e polêmica esposa de Nelson Mandela

Conhecida na África do Sul como a “Mãe na Nação”, Winnie foi casada com Mandela de 1958 até 1992, dois anos antes do líder da luta contra a apartheid se tornar o primeiro presidente negro do país. Durante os 27 anos de prisão de Mandela, condenado à pelo regime de minoria branca, ela continuou militando. Winnie é uma das referências dentro do Congresso Nacional Africano, partido no poder do país desde as primeiras eleições democráticas, em 1994. De 1993 a 2003 foi presidente da Liga das Mulheres e chegou a ser Ministra das Artes, Cultura, Ciência e Tecnologia, no governo de Mandela (1994), mas foi demitida após uma suspeita de fraude.

Desde 1991 o seu nome foi envolvido em vários crimes e polêmica.

Winnie ficou bem famosa ao falar a emblemática frase: “Sem mim, o Mandela não tinha existido”. (ANSA)

A militante Winnie Madikizela-Mandela, ex-esposa do ex-presidente sul-africano Nelson Mandela, morreu nesta segunda-feira (2), aos 81 anos, informou seu assistente pessoal em comunicado.

Leia também

Winnie, a carismática e polêmica esposa de Nelson Mandela

Conhecida na África do Sul como a “Mãe na Nação”, Winnie foi casada com Mandela de 1958 até 1992, dois anos antes do líder da luta contra a apartheid se tornar o primeiro presidente negro do país. Durante os 27 anos de prisão de Mandela, condenado à pelo regime de minoria branca, ela continuou militando. Winnie é uma das referências dentro do Congresso Nacional Africano, partido no poder do país desde as primeiras eleições democráticas, em 1994. De 1993 a 2003 foi presidente da Liga das Mulheres e chegou a ser Ministra das Artes, Cultura, Ciência e Tecnologia, no governo de Mandela (1994), mas foi demitida após uma suspeita de fraude.

Desde 1991 o seu nome foi envolvido em vários crimes e polêmica.

Winnie ficou bem famosa ao falar a emblemática frase: “Sem mim, o Mandela não tinha existido”. (ANSA)

A militante Winnie Madikizela-Mandela, ex-esposa do ex-presidente sul-africano Nelson Mandela, morreu nesta segunda-feira (2), aos 81 anos, informou seu assistente pessoal em comunicado.

Leia também

Winnie, a carismática e polêmica esposa de Nelson Mandela

Conhecida na África do Sul como a “Mãe na Nação”, Winnie foi casada com Mandela de 1958 até 1992, dois anos antes do líder da luta contra a apartheid se tornar o primeiro presidente negro do país. Durante os 27 anos de prisão de Mandela, condenado à pelo regime de minoria branca, ela continuou militando. Winnie é uma das referências dentro do Congresso Nacional Africano, partido no poder do país desde as primeiras eleições democráticas, em 1994. De 1993 a 2003 foi presidente da Liga das Mulheres e chegou a ser Ministra das Artes, Cultura, Ciência e Tecnologia, no governo de Mandela (1994), mas foi demitida após uma suspeita de fraude.

Desde 1991 o seu nome foi envolvido em vários crimes e polêmica.

Winnie ficou bem famosa ao falar a emblemática frase: “Sem mim, o Mandela não tinha existido”. (ANSA)

A militante Winnie Madikizela-Mandela, ex-esposa do ex-presidente sul-africano Nelson Mandela, morreu nesta segunda-feira (2), aos 81 anos, informou seu assistente pessoal em comunicado.

________________________________________

Leia também

Winnie, a carismática e polêmica esposa de Nelson Mandela

Conhecida na África do Sul como a “Mãe na Nação”, Winnie foi casada com Mandela de 1958 até 1992, dois anos antes do líder da luta contra a apartheid se tornar o primeiro presidente negro do país. Durante os 27 anos de prisão de Mandela, condenado à pelo regime de minoria branca, ela continuou militando. Winnie é uma das referências dentro do Congresso Nacional Africano, partido no poder do país desde as primeiras eleições democráticas, em 1994. De 1993 a 2003 foi presidente da Liga das Mulheres e chegou a ser Ministra das Artes, Cultura, Ciência e Tecnologia, no governo de Mandela (1994), mas foi demitida após uma suspeita de fraude.

Desde 1991 o seu nome foi envolvido em vários crimes e polêmica.

Winnie ficou bem famosa ao falar a emblemática frase: “Sem mim, o Mandela não tinha existido”. (ANSA)

PRIMEIRA MULHER

A militante Winnie Madikizela-Mandela, ex-esposa do ex-presidente sul-africano Nelson Mandela, morreu nesta segunda-feira (2), aos 81 anos, informou seu assistente pessoal em comunicado.

________________________________________

Leia também

Winnie, a carismática e polêmica esposa de Nelson Mandela

Conhecida na África do Sul como a “Mãe na Nação”, Winnie foi casada com Mandela de 1958 até 1992, dois anos antes do líder da luta contra a apartheid se tornar o primeiro presidente negro do país. Durante os 27 anos de prisão de Mandela, condenado à pelo regime de minoria branca, ela continuou militando. Winnie é uma das referências dentro do Congresso Nacional Africano, partido no poder do país desde as primeiras eleições democráticas, em 1994. De 1993 a 2003 foi presidente da Liga das Mulheres e chegou a ser Ministra das Artes, Cultura, Ciência e Tecnologia, no governo de Mandela (1994), mas foi demitida após uma suspeita de fraude.

Desde 1991 o seu nome foi envolvido em vários crimes e polêmica.

Winnie ficou bem famosa ao falar a emblemática frase: “Sem mim, o Mandela não tinha existido”. (ANSA)

Morre a primeira mulher de Nelson Mandela

08 de maio de 2004

O ex-presidente da África do Sul Nelson Mandela enterrou sua primeira mulher Evelyn hoje, quase meio século após o casal ter se separado.

Mandela e sua terceira mulher, Graça Machel, participaram do enterro em Johanesburgo ao lado da segunda mulher de Mandela, Winnie Madikizela-Mandela, divulgou a rádio nacional SAfm.

Mandela se casou com Evelyn Mase em 1944, o ano em que ele co-fundou a Aliança Jovem do Congresso Nacional Africano. Ela sustentou Mandela com seu salário de enfermeira enquanto ele completava seus estudos de Direito.

Mandela e Evelyn, uma prima de seu colega no Congresso Nacional Africano Walter Sisulu, tinham uma filha e dois filhos, além de uma outra filha que morreu com apenas alguns meses de vida. O casamento terminou, parcialmente, por causa da devoção de Mandela à causa anti-apartheid, em 1957.

Logo depois, Evelyn retornou à cidade nativa Transkei, onde gerenciava uma loja para sustentar os filhos. Um deles, Madiba Thembekile, nunca se reconciliou com seu pai após o divórcio e morreu em um acidente de carro em 1969. Mandela não recebeu licença da prisão para participar do enterro.

Um ano após o divórcio, Mandela casou-se com Winnie, uma trabalhadora social glamourosa que esteve ao lado dele durante 27 anos de prisão e se tornou a querida do Congresso. Mas dois anos após ele ser solto, em 1990, eles se separaram.

Evelyn passou boa parte de seus últimos anos trabalhando como uma missionária Testemunha de Jeová. Ela manteve o nome Mandela, mas no final dos anos 1990 se casou com o empresário aposentado Simon Rakeepile.

Ela morreu no dia 30 de abril aos 82 anos de uma doença respiratória.

Em 1998, no seu aniversário de 80 anos, Mandela se casou com Machel, a viúva do presidente assassinado de Moçambique Samora Machel.

Reuters

Anna Zieminski/AFP

Comentários

Fabiano
id5 soluções web Tengu Criação - Tengu :: Tecnologia id5