Almanaque Alagoas - Vida inteligente na web
DETRAN

Notícias

Alagoas
Luiz Dantas

12 de Abril de 2018

PF apreende R$ 20 mil e prende homem com arma e munições

Após operação da PF, presidente da ALE-AL diz que 'jamais compactuaria' com fraudes na folha de pagamento

A Operação Malacafa, da Polícia Federal, apreendeu R$ 20 mil e prendeu um homem em flagrante por porte ilegal de arma de fogo durante cumprimento de mandados em Alagoas na última terça-feira (10/4). A PF investiga um esquema de funcionários fantasmas na Assembleia Legislativa de Alagoas.

Foram cumpridos 14 mandados de busca e apreensão, sendo um em Maceió, dois em Jacaré dos Homens e 11 em Batalha. A polícia não divulga oficialmente os nomes dos alvos, mas disse que houve buscas nas casas de vereadores, sem informar de quais municípios.

"Nós cumprimos [mandados de] busca nas residências de alguns vereadores, mas já adianto que não posso informar os nomes", disse o delegado Regional de Combate ao Crime Organizado da PF, Agnaldo Mendonça Alves.

A PF também não revela o nome do homem preso em flagrante e nem se ele era alvo dos mandados. O local onde estava o dinheiro apreendido também não foi divulgado, apenas que foi na casa de um dos alvos da operação na cidade de Batalha.

"Foram apreendidos mídias e documentos em geral, que serão avaliados e analisados", informou o delegado Agnaldo Alves.

Polícia Federal apreendeu R$ 20 mil em dinheiro em Batalha, Alagoas, durante as buscas da Operação Malacafa (Foto: Ascom/Polícia Federal) Polícia Federal apreendeu R$ 20 mil em dinheiro em Batalha, Alagoas, durante as buscas da Operação Malacafa (Foto: Ascom/Polícia Federal)

Polícia Federal apreendeu R$ 20 mil em dinheiro em Batalha, Alagoas, durante as buscas da Operação Malacafa (Foto: Ascom/Polícia Federal)

A Operação Malacafa é um desdobramento da Operação Sururugate, deflagrada no ano passado. À época, nove deputados e um ex-deputado de Alagoas foram relacionados ao desvio de R$ 150 milhões com esquema fraudulento na folha de pagamento do Legislativo.

A PF não deu detalhes desta nova fase da investigação. "O que se apura é a eventual existência ou não de funcionários fantastamas na Assembleia Legislativa. Por isso, fomos cumprir esses mandados para ver se conseguimos mais elementos de convicção a respeito desse assunto", disse Alves.

Esta nova operação acontece menos de um mês depois da PF ouvir 17 pessoas denunciadas por José Márcio Cavalcante, o “Baixinho Boiadeiro”, como sendo “laranjas” em um esquema de desvio de dinheiro na ALE. Baixinho é filho do vereador por Batalha Neguinho Boiadeiro, assassinado em novembro de 2017.

Contudo, segundo a PF, os alvos desta fase da operação não têm ligação com os depoimentos das pessoas citadas pelo filho do vereador assassinado, mas são decorrentes das investigações da Sururugate.

"As buscas realizadas hoje têm como objetivo apurar a investigação anterior a esses fatos, que têm relação com a Assembleia. Não tem relação direta com esses fatos", disse o delegado Agnaldo Alves sobre as denúncias de Baixinho Boiadeiro.

O delegado disse que o nome escolhido para a operação de hoje, Malacafa, é uma gíria nordestina que significa armação.

Arma calibre 12, munição e celulares foram apreendidos com uma pessoa, presa em flagrante durante a Operação Malacafa, da Polícia Federal, em Alagoas (Foto: Ascom/Polícia Federal) Arma calibre 12, munição e celulares foram apreendidos com uma pessoa, presa em flagrante durante a Operação Malacafa, da Polícia Federal, em Alagoas (Foto: Ascom/Polícia Federal)

Arma calibre 12, munição e celulares foram apreendidos com uma pessoa, presa em flagrante durante a Operação Malacafa, da Polícia Federal, em Alagoas (Foto: Ascom/Polícia Federal)

Veja mais notícias da região no G1 Alagoas

OUTRO LADO

O deputado Luiz Dantas (MDB), presidente da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa do Estado (ALE), se manifestou na tarde da última terça-feira (10) sobre as operações da Polícia Federal que apuram o esquema de funcionários fantasmas na ALE.

"Sou o principal interessado no absoluto esclarecimento dessa denúncia de suposto esquema de irregularidades na folha de pagamento, pois jamais compactuaria com tais atitudes", afirmou o presidente por meio de nota (veja abaixo na íntegra).

Pela manhã, a Polícia Federal cumpriu 14 mandados de busca e apreensão em Maceió, Batalha e Jacaré dos Homens, para investigar o esquema. Houve buscas em casas de vereadores. Um homem foi preso e R$ 20 mil foram apreendidos.

Ainda segundo Dantas, o Poder Legislativo não foi notificado oficialmente sobre a operação, mas esclarece que vai contribuir com as investigações.

"Trabalho à luz do dia, irmanado com a legalidade e os princípios que devem nortear a administração pública. Daí a razão pela qual continuo à disposição para contribuir no completo esclarecimento desse caso", disse Dantas.

Veja abaixo a nota na íntegra do presidente Luiz Dantas:

O Poder Legislativo de Alagoas não recebeu nenhuma notificação oficial acerca da operação realizada pela Polícia Federal. Reitero meu ponto de vista: sou o principal interessado no absoluto esclarecimento dessa denúncia de suposto esquema de irregularidades na folha de pagamento, pois jamais compactuaria com tais atitudes.

Trabalho à luz do dia, irmanado com a legalidade e os princípios que devem nortear a administração pública. Daí a razão pela qual continuo à disposição para contribuir no completo esclarecimento desse caso. .

G1 AL

Comentários

Fabiano
id5 soluções web Tengu Criação - Tengu :: Tecnologia id5