Almanaque Alagoas - Vida inteligente na web
MARAGOGI

Notícias

Economia
Matheus Xavier
Agentes do Procon AL durante fiscalização em supermercado

14 de Setembro de 2020

Procon fiscaliza os produtos da cesta básica

Os fiscais verificam se o aumento é abusivo após apresentação da nota emitida por fornecedores aos estabelecimentos

O Instituto de Proteção e Defesa do Consumidor de Alagoas (Procon/AL) iniciou, na última quarta-feira (9), uma série de fiscalizações no estado voltadas aos preços dos itens essenciais na cesta básica, como óleo, arroz e feijão. A ação acontece, principalmente, nos estabelecimentos denunciados pelos consumidores.

Nos locais, os fiscais, após a observação da taxação e a exposição dos preços, solicitam dos estabelecimentos as notas fiscais emitidas pelos fornecedores. É realizado o cálculo para verificar se o valor de compra dos produtos, por parte da empresa, é considerado abusivo quando comparado aos preços que estão sendo cobrados na prateleira.

Segundo a fiscal Adelaide Melo, o preço é considerado abusivo quando o resultado do cálculo ultrapassa 30% do valor obtido pelo supermercado na compra dos produtos aos fornecedores. Ação dos fiscais acontece a partir das denúncias por parte da população alagoana.

No último mês, o instituto vem recebendo diariamente reclamações nas redes sociais referente ao aumento de preços nos supermercados. Os fiscais chegaram autuar um deles por ofertar aos consumidores o óleo e o arroz, com 70% e 60%, respectivamente, de acréscimo ao valor obtido com o fornecedor.

Além da vistoria em relação aos preços, a equipe também verifica a data de validade, o armazenamento e se existe avaria nos produtos dos estabelecimentos. A fiscalização continua vistoriando os supermercados da capital e interior.

De acordo com o diretor-presidente, Daniel Sampaio, é importante ressaltar que os estabelecimentos autuados podem apresentar a defesa administrativa em até 10 dias úteis sobre as irregularidades verificadas pela equipe.

Caso o consumidor acredite que exista abusividade nos preços na sua cidade, é necessário formalizar sua reclamação ou denúncia ao Procon Alagoas por meio de mensagens no WhatsApp 9 8876-8297 ou email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo." target="_blank">info@procon.al.gov.br, ou ainda ligação gratuita para o número 151.

Matheus Xavier
Agencia Alagoas

Comentários

Fabiano
id5 soluções web Tengu Criação - Tengu :: Tecnologia id5